qtq80-6Xj5PBJá falamos aqui de metas empresariais. Elas são complexas de serem definidas e por isso o planejamento estratégico exerce um papel fundamental nesse quebra-cabeça.  Mas para você que não participa do processo estratégico diretamente, sobram as metas anuais que seu gestor sempre cobra no início do ano.

Para os profissionais de pequenas e médias empresas essa ainda não é uma realidade muito forte. Mas deveria ser, pois elas nos servem como norteadores de performance e resultados. E se são recompensadas no atingimento, mais ainda.

Objetivo é diferente de meta. No objetivo podemos economizar nas palavras, colocando apenas coisas mais superficiais e linhas gerais. Exemplo: Vou emagrecer em 2016.

Metas, porém, são mais detalhistas, pois é a especificação desses objetivos quantitativamente. São exemplos de metas: Quero emagrecer 20 quilos nos próximos 4 meses a partir de hoje. Vou comprar um carro zero km até o mês de março de 2017.

No final de 4 meses a partir do dia de hoje tenho condições de me pesar e ver se emagreci os 20 quilos e o melhor de tudo é que posso ir acompanhando essa meta até o final, me pesando mês a mês.  Se eu cumprir a meta eu cumpro o objetivo.

Se numa empresa todos os departamentos conseguirem cumprir suas metas, o planejamento estratégico, por conseguinte tem grandes chances de ser alcançado também. A questão chave é o acompanhamento que precisa ser sistemático e ajustes podem ser realizados quando o negócio assim exigir.

Não deveria haver metas estáticas, sou a favor de ajustar as metas, principalmente quando fatores externos podem impactar nos resultados e as ações internas não foram factíveis. Metas intangíveis desmotivam a equipe e podem por ladeira a baixo a performance de todos.

 

Metas S.M.A.A.R.T.

Metas S.M.A.A.R.T te ajudam a planejar de forma mais eficaz, fácil e intuitiva. Pode ser utilizado em todos os níveis, para metas pessoais, profissionais ou empresariais. Uma coisa que você vai perceber aqui é que o mercado usa sempre SMART e o meu modelo tem um A adicional. E não é erro de digitação não.

Vou explicar abaixo e se fizer sentido para você, adote. Até hoje apenas uma empresa que conheço utiliza e quando eu vi, achei que fazia muito sentido e adotei no meu processo também e por onde vou compartilho com o time. Por isso vou compartilhar com vocês. Vamos lá:

S: Específica (Specific)

Uma meta é específica, quando tira qualquer possibilidade de ambiguidade de seu entendimento. O que facilita ao máximo a criação de atividades e avaliações desta meta em um futuro próximo. Então pensa numa meta clara para que você não se engane.

Perguntas que podem te ajudar a definir este item: O que? Por quê? Quem? Onde? Qual é?

M: Mensurável (Measurable)

Toda meta precisa ser mensurável, medida e passível de acompanhamento. Este é um critério importante para saber se ela realmente foi alcançada. O que não pode ser medido, nunca será alcançado, pois será baseado em percepções e humores.

E o mais importante é que se não é mensurável não pode ser gerenciado. Por conseguinte, não pode ser corrigido o rumo e analisado os fatores que impactaram nos resultados.

Perguntas que podem te ajudar a definir este item: Quanto custa? Quantos? Como saberei que essa meta foi atingida?

A: Alcançável (Attainable)

Uma meta difícil demais pode desmotivar você e o seu time, assim como uma meta fácil demais. Ela tem que ser passível de ser atingida, senão vira uma meta impossível. E a fácil não desenvolve ninguém, pois não desafia seu time.

Se é a primeira vez que está estabelecendo aquela meta e não tem ainda uma percepção se é ou não alcançável, faça um acordo com eles de revisarem todos os meses. O que é acordado não custa caro, certo?

Perguntas que podem te ajudar a definir este item: Como saberei se a meta foi atingida? Baseado em qual parâmetro?

A: Alinhada (Aligned)

Esse é o item que mais gosto e só vi em uma empresa em que trabalhei. É o alinhado a estratégia, missão e visão da empresa. É o que dá sentido à meta definida, pois só faz sentido se contribuir para o alcance dos resultados corporativos.

Esse critério força o gestor do time a conhecer bem as estratégias da empresa, sua visão e missão. E promove o alinhamento de todo o time, por conseguinte. Sabemos que todas as atividades são importantes, mas as vezes perde-se muito tempo com algo que tem um impacto insignificante no resultado final.

Perguntas que podem te ajudar a definir este item: De que forma contribuo para a estratégia da empresa? A missão e visão? Tem algo que seja mais impactante para o resultado final?

R: Relevante (Relevant)

Uma boa meta é aquela que traz resultados à empresa. Todos deveriam saber o impacto de suas ações sobre o faturamento da empresa. Infelizmente tem muito gestor que não sabe e parece não querer saber.  Mas pense o que você não fazer uma determinada atividade dentro do prazo pode comprometer você.

Por ser da área de TI talvez te ajude saber por exemplo, que em uma empresa em que atuei na área de internet. Toda campanha precisava cumprir seu prazo de publicação, pois além do volume de acessos crescer na mudança de campanha, havia um investimento em marketing off-line que acompanhava o mesmo calendário. Assim minha meta era o de cumprir sem atraso 100% do calendário de campanha anual da empresa.

Analise o impacto nas métricas de faturamento, número de clientes, volume de acessos ao site, quantidade de lead, número de reclamações, etc.  Isso tem que ser possível com os recursos que você tem hoje, se não, busque ajuda e novos dados.

T: Temporal (Time-bound)

Metas por serem parte de um planejamento maior ainda, precisam de prazos para atingimento. Início e fim são importantes para que o atingimento seja possível. Seja critico com o tempo definido e com os recursos que tem.

Já tive o caso de ter uma meta estabelecida em 70%, chegar no final do ano com 84% e ouvir do meu gestor que esperava 100%. Mas ele não me deu recursos para os 100% e muito menos definiu isso comigo. A justificativa dele é que eu tinha acertado isso com o antigo gestor. Minha resposta para ele, foi porque não mudou a meta quando entrou? E por que não falou ao longo dos meses que acompanhou os resultados.

Metas precisam ser acordadas e reavaliadas sempre, nem o gestor e nem o funcionário possuem bola de cristal. É preciso externalizar o que se deseja em encontros periódicos. Acordos podem ser refeitos de acordo com as mudanças e fatores que impactam os resultados. Pode ser uma perda na equipe, uma mudança de processo, um novo sistema, etc.

Enfim, o importante é que você gestor ou empresário precisa ficar atento ao seu time. Deixe todos cientes do que você espera deles. Escreva, fale, faça junto e seja um bom espelho. Use todos os sentidos para ter controle do que está acontecendo dentro da sua empresa ou departamento.

Definir a meta e só voltar a ela no final do ano, é definir seu fracasso. E você não está aqui para fracassar, certo?!

Siga-nos no Instagram!


Renata V. Lopes

Atua há mais de 25 anos na área de Tecnologia da Informação com gerenciamento de projetos e equipes multidisciplinares, em grandes empresas como Grupo Gerdau, Lojas Renner, Hewlett-Packard, Rio2016 e Grupo Guanabara. Master coach, leitora compulsiva, blogueira, apaixonada por redes sociais e estudante em constante desenvolvimento, acredita na cooperação, colaboração e compartilhamento do conhecimento como forma de aprendizado.

error: Conteúdo Protegido!
×

Hello!

Click one of our contacts below to chat on WhatsApp

× Posso ajudar?