Planejar é muito importante, mas não é de hoje que sabemos bem que no papel tudo funciona. E bem diga-se de passagem. Mas na hora da execução é que os problemas, obstáculos e desafios realmente acontecem.  Fazer acontecer é o grande gargalo das empresas, e por que não dizer, dos projetos.

Por melhores que sejam as ferramentas de planejamento estratégico, na hora de colocar em prática não devemos nos descuidar. E por isso vamos falar de 4 pontos importantes para quem é o responsável de fazer as coisas andarem:

1.Envolva sua equipe interna

Para fazer acontecer o plano estratégico ou operacional, deve-se contar com a participação de quem vai executá-lo. Não adianta de nada reunir os gestores em lindas pousadas para planejar o que eles no dia a dia não irão operar. O poder está nas mãos dos gestores que envolvem suas equipes e compartilham o conhecimento durante o processo de planejamento e de execução.

Sendo assim, envolva a todos. Se você faz parte do planejamento, mas não faz nada sozinho, busque entender como as coisas são feitas. As dificuldades e os pontos fortes para conseguir colocar em prática o que a empresa deseja. Em muitos casos será preciso ensinar a equipe como fazer, transformar a forma como se faz e cortar o que não gera resultado.

Esteja aberto para aprender com a equipe, com o envolvimento de todos há a co-criação. Uma troca de experiências, insights e conhecimentos que podem abrir novas alternativas de condução do planejamento.

2.Pessoas certas nos lugares certos

Já explorei muito esse assunto aqui no nosso blog, mas vale a pena resumir mais uma vez, pois para fazer acontecer é preciso ter as pessoas certas nos lugares certos. Gente boa não deve ser os que concordam conosco, os que são nossos amigos e seguem o que definimos sem questionar.

As pessoas certas são aquelas que vão desafiar a forma como fazemos as coisas e são os melhores em suas áreas de atuação. Achar o profissional com a atitude e o conhecimento desejado é a chave para entrega de resultados. Se na hora da escolha você não tiver certeza sobre o conhecimento, aposte na atitude e nos valores desse profissional.

Se a pessoa for adequada ao cargo, ela crescerá e tomará decisões cada vez melhores à medida que apreciar o trabalho e seus resultados. Eu particularmente gosto muito da ideia de empresas que atuam de forma projetizada ou em squad, onde você pode combinar perfis.

3.Implante a Meritocracia

Recompense quem faz, pode parecer super óbvio isso, mas ainda tem muita gente que acredita que o tratamento desse ser igual para todos. Mas a grande verdade é que devemos distinguir e honrar a quem consegue atingir e até superar os seus resultados. 

As empresas com cultura intraempreendedora já entenderam isso e incorporam em sua filosofia de RH, oferecendo diferenciais para os que realizam suas tarefas, executam seus planos e fazem as coisas acontecerem.

Como líder você sabe estimular os esforços da equipe, sabe “puxar” e expandir a capacidade delas e alinhar esses esforços para atingir os resultados esperados no planejamento. Então vincule incentivos e remuneração as metas do planejamento estratégico.

Mas lembre-se que antes de tudo vem o reconhecimento. Eu acredito que mais do que boas remunerações, conseguir reconhecer e promover seu time para que eles ganhem visibilidade e oportunidade de crescimento é ainda mais importante.

4.Disciplina

Disciplina para implementar o plano, ser realista, mesmo que doa e terminar o que foi iniciado, discutindo sobre o que precisa ser ajustado. Não podemos ter vaidade no projeto, com disciplina é possível ultrapassar os obstáculos que encontraremos na execução.

Alguns projetos por força externa não podem ser modificados, pois fazem parte de normas regulatórias e leis. Mas isso não significa que precisam ser by the book. Vale a pena analisar o contexto da empresa e buscar formas de adequação.

Mapeie os riscos que podem acontecer e não enterre a cabeça pensando que os mesmos irão desaparecer, mas pense em alternativas para mitigar ou eliminar eles.

Enfim o planejamento é a bussola, mas a execução é o caminho percorrido e pode significar até 70% do seu esforço. Espero que esse texto ajude você a refletir sobre essa etapa crucial do seu projeto.


Renata V. Lopes

Renata Valéria Lopes atua há mais de vinte anos na área de Tecnologia da Informação com gerenciamento de projetos e equipes multidisciplinares, em grandes empresas como Grupo Gerdau, Lojas Renner, Hewlett-Packard, Rio2016 e Grupo Guanabara.

0 comentário

Deixe uma resposta

error: Conteúdo Protegido!