A Tecnologia da Informação requer investimentos e despesas significativas para qualquer empresa que tem dependência estratégica dessa área. Com a necessidade de atender os marcos regulatórios algumas empresas se veem diante do desafio de terem ainda mais alinhamento da TI com o negócio.

Somente com o alinhamento é possível a geração de valor para o negócio. E essa geração depende do equilíbrio entre pessoas, processos e tecnologia, por isso ter uma boa governança Corporativa e de TI.

Mas calma aí, não adianta pegar um modelo e forçar o by the book dentro da organização, em muitos casos será preciso mesclar dois ou mais modelos para se ter um framework próprio.

Lembro que em 2001 muitos dos meus projetos mesclavam o modelo do PMBook e do ITIL. Em 2008 comecei a acrescentar os modelos ágeis. Com isso nos grandes projetos em que um modelo waterfall era totalmente aderente, usava o modelo e nos de pequenas melhorias e adequações usava o modelo ágil.

Com o passar do tempo tínhamos um super cronograma grantt com todas sprints organizadas e o backlog mapeado. Aceleramos muitas entregas e mais uma vez comprovamos que não se pode engessar a operação querendo simplesmente implantar boas práticas, sem analisar a cultura organizacional.

Mesmo quando uma empresa foca na terceirização para seu desenvolvimento ou serviços, é preciso ter uma boa governança sobre os contratos dos prestadores de serviços. Acompanhando as entregas contratadas e seus SLAs (acordos de nível de serviços).

Por estar a muitos anos na área de TI, amo ver as engrenagens dos modelos rodando e tudo se conversando. Mas confesso que gosto mesmo é de fazer a implantação desses processos, pois é um desafio pensar e estruturar o modelo para cada tipo de negócio. Quanto mais bagunçado o ambiente, infelizmente maior é a resistência na implantação de uma governança.

Mas e a sua empresa já pensou no papel que a TI tem para seu negócio? Existem 4 (quatro) estágios da TI dentro de uma organização, e é intimamente ligada a dependência que essa operação tem da TI, são eles:

Estágio da TIOperação
(Presente)
Estratégia
(Futuro)
EstratégicoAltoAlto
FábricaAltoBaixo
SuporteBaixoBaixo
MudançaBaixoAlto

Todos na empresa querem projetos e serviços dentro do prazo e do orçamento. Quanto maior a dependência do negócio maior a exigência e consequentemente a governança poderá definir a melhor alocação dos recursos monetários, gerir as priorizações de atendimento.

A TI que entende a estratégia da empresa as traduz em planos para sistemas, aplicações, soluções, processos, infraestrutura, competências, sourcing e segurança que agreguem valor ao negócio.

Na ISO/IEC 38500 que é baseada em 6 princípios para uma boa governança de TI e que podem ser aplicadas por você que está lendo esse artigo. Os princípios são:

  • Responsabilidade: os papéis e responsabilidades de cada um dentro da estrutura de TI são definidos e estão claros, de forma que cada um desempenha suas atividades com foco em atender suas responsabilidades.
  • Estratégia: a estratégia de negócio organização leva em conta as capacidades atuais e futuras de TI. Assim como a TI em seu plano estratégico visará as estratégias atuais e contínuas da da organização.
  • Aquisição: as aquisições de TI são feitas com base em análise apropriada e contínua, com tomada de decisão clara e transparente. Existe um equilíbrio entre benefícios, oportunidades, custos e riscos, de curto e longo prazo. Sendo portanto fundamental um calculo do retorno de investimento dos recursos disponibilizados pela organização.
  • Desempenho: a TI apoia a organização, fornecendo serviços com qualidade para atender aos requisitos atuais e futuros de negócio.
  • Conformidade: a TI cumpre com toda a legislação e os regulamentos externos e internos obrigatórios. As políticas e práticas são claramente definidas, implementadas e fiscalizadas.
  • Comportamento Humano: as políticas, práticas e decisões de TI demonstram respeito pelo comportamento humano, incluindo as necessidades atuais e futuras de todas as “pessoas envolvidas no processo”.

Todos princípios tratam de comportamentos e formas da TI agir, mas do que aspectos técnicos. Afinal todo programa de governança para ter sucesso precisa ser seguido de ações educativas constantes para que todos possam se envolver e contribuir para o sucesso das estratégias.

Com esse texto espero que vocês possam conseguir avaliar o estágio da TI em sua organização e seguir esses princípios para implementar a governança de Ti.


Renata V. Lopes

Atua há mais de 25 anos na área de Tecnologia da Informação com gerenciamento de projetos e equipes multidisciplinares, em grandes empresas como Grupo Gerdau, Lojas Renner, Hewlett-Packard, Rio2016 e Grupo Guanabara. Master coach, leitora compulsiva, blogueira, apaixonada por redes sociais e estudante em constante desenvolvimento, acredita na cooperação, colaboração e compartilhamento do conhecimento como forma de aprendizado.

Deixe uma resposta

error: Conteúdo Protegido!