Ultimamente tenho atendido alguns pedidos de mentoria pelo Linkedin  e tem sido muito legal conversar e compartilhar ideias com outros profissionais.  Muitos com grande potencial empreendedor, mas que ficam receosos devido a segurança de um salário fixo. O grande medo da maioria é que eles são excelentes técnicos, mas não sabem como comercializar seus produtos e serviços.

De qualquer forma tenho visto crescer o número de novos empreendedores devido à falta de vagas de emprego formal. E hoje resolvi postar uma série de jargões técnicos ligados ao mundo corporativo que eu considero fundamental para melhor compreensão do mercado pelos marinheiros de primeira viagem. O Marketing ajudará você a difundir suas habilidades e conhecimentos, assim você poderá ser comprado ao invés de ter de vender.

Mais do que conhecer os significados, é importante saber como e quando utilizá-los. Aprender a se comunicar, usando os termos técnicos adequados vai potencializar sua credibilidade diante de uma apresentação de negócios.   A lista é longa, mas aqui vou pegar alguns termos que acredito serem bem úteis para começar.

1. Benchmarking: é o método sistemático de procura por melhores processos, ideias inovadoras e procedimentos de operação mais eficazes que conduzam a um desempenho superior. Quando você estiver montando um negócio novo pense em seu melhor concorrente e faça tudo para superá-lo no que ele faz de melhor.

2. CRM (Customer Relationship Management): é uma integração de processos de produção, distribuição, vendas e marketing, de forma orientada ao cliente. Muitas empresas não conseguem entender que processos seus contribuem para a satisfação do cliente, se você tem isso de forma clara, pode então atender melhor ao seu cliente e estimular sua fidelidade visando maior lucratividade para a empresa. Os sistemas de CRM controlam os indicadores dessa relação e podem ajudar a interpretar como você está atraindo e retendo seus clientes.

3. Ciclo de vida do produto (CVP): linha de variação correspondente às fases do histórico de vida de um produto: dividido em quatro estágios: introdução, crescimento, maturidade e declínio. Todos sobre o aspecto vendas, já que o aumento ou declínio das vendas é um forte indicativo de que aquele produto pode não mais fazer sentido no mercado atual que tem se transformado cada vez mais rapidamente.

4. Comunicação integrada de marketing (CIM):  é um conjunto articulado de esforços, ações, estratégias e produtos de comunicação, planejados e desenvolvidos por uma empresa ou entidade, com o objetivo de agregar valor à sua marca ou de consolidar a sua imagem junto a públicos específicos ou à sociedade como um todo. Mantendo sempre a linguagem e coerência em todos os canais utilizados. 

5. Determinação de custo-meta: estratégia de gestão de custos que, a partir do preço de mercado e de uma margem de lucro desejada, estabelece um teto de custo para os produtos ou serviços. Ou seja, quando se espera gastar para produzir o produto ou serviço.

6. Estratégia pull (atração): o fabricante utiliza a propaganda e a promoção ao consumidor alvo para induzi-lo a pedir o produto aos intermediários, fazendo com que estes o encomendem. Quem tem mais influência nos círculos de relacionamento tem a vantagem de difundir por recomendação seus produtos e serviços.

7. Estratégia push (pressão): o uso da equipe de vendas e da promoção dirigida ao revendedor para induzir os intermediários a expor, promover e vender o produto aos usuários finais. Quem tem mais recursos financeiros compra melhor exposição nos canais de marketing.

8. Marketing viral: estratégia de marketing que tem como objetivo explorar as conexões entre as pessoas para se espalhar e viralizar. É considerada uma técnica com custos menores que as ações tradicionais, pois a mídia utilizada é o próprio público-alvo.

9. Markup ou Mark up: termo usado em economia para indicar  o quanto do preço do produto está acima do seu custo de produção e distribuição. Significa diferença entre o custo de um bem ou serviço e seu preço de venda.

10. Mercado-alvo ou público-alvo: consiste em identificar num mercado heterogéneo um determinado grupo de indivíduos (empresas, segmentos diversos) que a empresa decide atrair e tornar cliente, com respostas às preferências semelhantes de produtos e serviços.

11. Market share: medida de nível ou grau de participação de mercado (fatia ou quota) que uma empresa tem no seu segmento ou no segmento de um determinado produto. O Market Share serve para avaliar a força e as dificuldades de uma empresa, além da aceitação dos seus produtos.

12. Posicionamento: é o modo como esta é vista pelo consumidor, também em comparação às outras marcas. Para que a marca assuma um bom posicionamento de mercado, é necessária uma estratégia de marketing que seja eficaz, atingindo com êxito o mercado-alvo. 

13. Promoção de vendas: conjunto variado de ferramentas de incentivo, principalmente de curto prazo, destinadas a estimular compras mais rápidas e maiores de determinados produtos ou serviços por parte de consumidores ou do comércio.

14. Proposta de valor: é um conceito de marketing que determina se o produto ou serviço que o seu negócio oferece realmente tem valor para os seus clientes. 

15. Segmentação de mercado: processo de identificação, dentro de um mercado, de um subgrupo de clientes cujas necessidades, desejos e/ou recursos são diferentes de tal modo que os faz responder de forma diferenciada a determinado composto mercadológico.

16. Sistema de informações de marketing (SIM): pessoas, equipamentos e procedimentos dedicados a coletar, classificar, analisar, avaliar e distribuir as informações necessárias de maneira precisa e oportuna para aqueles que tomam decisões de marketing.

17. Valor do ciclo de vida do cliente (LTV): O Lifetime Value é a quantidade de valor que um cliente contribui para a sua empresa ao longo da vida — que começa com a primeira compra ou contrato de um novo cliente e termina com o “momento de rotatividade”.

18. Valor percebido pelo cliente (VPC): definido como a percepção do cliente de custo-benefício de um produto, serviço ou organizações, sendo uma preocupação relevante entre o relacionamento dos mesmos, influenciando as estratégias de preços e serviços nos quais serão repassados aos clientes.

19. Vantagem ou diferencial competitivo: é um conjunto de características que permitem a uma empresa diferenciar-se, por entregar mais valor aos seus clientes, em comparação aos seus concorrentes e sob o ponto de vista dos clientes.

20. Ações de guerrilha: é uma estratégia mais agressiva e direta, que busca impactar uma grande parcela de consumidores com um investimento não tão alto quanto exige a publicidade.

21. Minimum Viable Product (MVP): e significa produto mínimo viável. É uma prática de administração de empresas que consiste em lançar um novo produto ou serviço com o menor investimento possível, para testar o negócio antes de aportar grandes investimentos.

22. Cadeia de valor: modelo de estruturação das atividades desenvolvidas pelas empresas, visando garantir a máxima qualidade do serviço e produto ao cliente final, além de criar vantagem competitiva no mercado.

23. Intra empreender: empreendedor interno, ou seja empreendedorismo dentro dos limites de uma organização já estabelecida.

Aprofundar cada um desses termos é importante para que você possa se desenvolver, seja qual for o caminho a seguir empreender ou intra empreender.


Renata V. Lopes

Atua há mais de 25 anos na área de Tecnologia da Informação com gerenciamento de projetos e equipes multidisciplinares, em grandes empresas como Grupo Gerdau, Lojas Renner, Hewlett-Packard, Rio2016 e Grupo Guanabara. Master coach, leitora compulsiva, blogueira, apaixonada por redes sociais e estudante em constante desenvolvimento, acredita na cooperação, colaboração e compartilhamento do conhecimento como forma de aprendizado.

Deixe uma resposta

error: Conteúdo Protegido!