Quando se fala em metas, vem logo na cabeça cobrança, mas na realidade elas servem de guia para as ações de cada um dentro da organização. Antes de mais nada é preciso prestar atenção as suas definições: 

  1. S: Específica (Specific)  Uma meta é específica, quando tira qualquer possibilidade de ambiguidade de seu entendimento.  
  2. M: Mensurável (Measurable) Toda meta precisa ser mensurável, medida e passível de acompanhamento. Este é um critério importante para saber se ela realmente foi alcançada.  
  3. A: Alcançável (Attainable)  Uma meta difícil demais pode desmotivar você e o seu time, assim como uma meta fácil demais. Ela tem que ser passível de ser atingida, senão vira uma meta impossível. 
  4. A: Alinhada (Aligned) É alinhada a estratégia, missão e visão da empresa. É o que dá sentido à meta definida, pois só faz sentido se contribuir para o alcance dos resultados corporativos. 
  5. R: Relevante (Relevant/ Result) Uma boa meta é aquela que traz resultados à empresa. Todos deveriam saber o impacto de suas ações sobre o faturamento da empresa.  
  6. T: Temporal (Time-bound) Início e fim são importantes para que o atingimento seja possível. Seja critico com o tempo definido e com os recursos que tem. 

Tão importante quando definir a meta, segue o processo de acompanhar e avaliar as metas. Esse processo não pode ser realizado apenas no final do ano, ou semestralmente. Deve ser algo continuo, e de preferência formalizado dentro da rotina da organização. Deixo aqui umas dicas sobre esse acompanhamento: 

  1. Celebre as conquistas, até as pequenas conquistas quando celebradas encorajam o espirito de equipe e o ambiente de companheirismo. 
  2. Compartilhe os méritos com sua equipe de forma justa. Não precisa necessariamente envolver dinheiro. Acredito que uma das melhores formas de reconhecer uma equipe é agradecendo a todos pelas suas contribuições.
  3. Cuide de sua equipe de forma genuína, proporcionando um ambiente inclusivo e preocupando-se com as necessidades pessoais e profissionais deles. Quando os gestores são abertos e acessíveis as pessoas se expressam e compartilham opiniões. E por conseguinte eles se sentem envolvidos nas decisões que afetam a equipe.
  4. Inspire seu time transmitindo missão, propósito, metas e valores da empresa sempre de forma clara e honesta. Ressalte a importância de cada um e como suas contribuições individuais contribuem para o resultado final da empresa.
  5. Contrate pessoas com talento e que possam contribuir para o crescimento da empresa. Mas gestores lembrem-se de ajudar seus funcionários a se desenvolverem. Fomentar um ambiente de aprendizado é muito importante, nutra os talentos da equipe. 
  6. Durante os acompanhamentos dos indicadores, foi possível avaliar que algo não vai bem, então trace ações de correção de forma que todos possam se envolver e ajustar o rumo dos resultados. Como gestor, se coloque a disposição para facilitar esse atingimento.  
  7. Afie as “ferramentas”, proporcionando ao time momentos de desenvolvimento profissional e pessoal. Estimule sua equipe a compartilhar conhecimento, ler, participar de cursos, incentive a todos para que estude, se na empresa não tem verba destinada a treinamento e você pode ministrar um curso, faça-o como um mentor do seu time.
  8. Conheça a sua equipe e acompanhe a cada um de forma individual, assim no final do período quando as metas serão fechadas, ninguém será surpreendido por uma meta não atingida e pela avaliação que receberá.

Renata V. Lopes

Atua há mais de 25 anos na área de Tecnologia da Informação com gerenciamento de projetos e equipes multidisciplinares, em grandes empresas como Grupo Gerdau, Lojas Renner, Hewlett-Packard, Rio2016 e Grupo Guanabara. Master coach, leitora compulsiva, blogueira, apaixonada por redes sociais e estudante em constante desenvolvimento, acredita na cooperação, colaboração e compartilhamento do conhecimento como forma de aprendizado.

Deixe uma resposta

error: Conteúdo Protegido!