Um dia você está lá sentado em sua cadeira de gestor com encosto alto e pensando: Como vou dar conta de ser o líder que minha equipe precisa? Será que consigo realizar todas as atribuições que conquistei? E se as vendas não forem bem, o que faço? Como vou manter meu negócio diante da concorrência?

Essas e muitas outras perguntas rodeiam a cabeça dos empresários e executivos. E hoje mais ainda com a crise econômica que o Brasil vem enfrentando. Manter-se no mercado é um desafio árduo e para poucos. Os empresários que conheço e que conseguem se manter possuem habilidades para inspirar pessoas e conectá-las.

Olhando de vários ângulos, podemos distinguir neles características que em momentos diferentes se revelam mais fortemente. São maestros na arte de integrar pessoas, sua “força” está nas suas ideias e não tem medo de compartilhar o que pensa. Estratégicos em seus projetos independentes do momento ou desafios que a vida impõe.

Donos do negócio, eles arregaçam as mangas e fazem acontecer, exigindo dos demais profissionais da equipe atitudes e comportamentos de alta performance.  Mas o que mais me chama atenção hoje é que muitos jovens empresários possuem altas doses de responsabilidade social correndo nas veias. E além de pensarem em ganhar dinheiro, querem fazer isso de forma ética e sustentável.

Empresários que são líderes natos que influenciam, motivam, persuadem, cutucam, instigam e incomodam no bom sentido. A nova geração, que chega com ideias e conceitos novos de gestão, infelizmente nem sempre está preparada para os maus resultados.  Resiliência e flexibilidade são essenciais para os que se aventuram na gestão de um negócio.

De forma geral os empresários/executivos precisam manter suas atenções em:

  1. Competitividade e qualidade são palavras de ordem para se manter no mercado.  
  2. A globalização muda a forma como enxergamos a concorrência, precisamos estar atentos aos produtos  estrangeiros. 
  3. Encantar ao cliente é prioridade em todo negócio, hoje mais do que nunca, qualquer deslize pode viralizar”.
  4. A empresa deve ser um excelente lugar para trabalhar e integração é fator estratégico de sucesso. 
  5. Cultura e valores são fundamentais, diante das incertezas e do caos externo. 
  6. Capital intelectual deve ser preservado, mas inovação é necessária em todos os processos. 
  7. A empresa não pode esquecer suas responsabilidades sociais e ambientais. 

Apenas se manter atento, não faz o problema sumir. É preciso se preparar para ultrapassar cada um desses obstáculos, com estudo e pessoas talentosas na equipe. Esteja atento a cada membro do seu time. Amor ao trabalho, empreendedorismo, autoconfiança, foco nos resultados e flexibilidade são algumas características que eles devem ter para enfrentar os desafios expostos acima.

Ser um empresário e gestor é um desafio e, segundo Marco Aurélio F. Vianna “Líderes excelentes serão cada vez mais pedra rara na mineração do mundo dos negócios”.  Que você possa ser essa pedra rara.


Renata V. Lopes

Atua há mais de 25 anos na área de Tecnologia da Informação com gerenciamento de projetos e equipes multidisciplinares, em grandes empresas como Grupo Gerdau, Lojas Renner, Hewlett-Packard, Rio2016 e Grupo Guanabara. Master coach, leitora compulsiva, blogueira, apaixonada por redes sociais e estudante em constante desenvolvimento, acredita na cooperação, colaboração e compartilhamento do conhecimento como forma de aprendizado.

Deixe uma resposta

error: Conteúdo Protegido!